Jantar a dois

postado em: Pensamentos | 0

Eu conheci uma menina há alguns anos, que era solitária. Apesar de viver rodeada de gente, de barulho e de acontecimentos, o seu interior carecia de recheio verdadeiro. Essa menina conheceu muitas pessoas, fez muitas viagens, foi a muitos lugares e cometeu vários erros (e acertos também). Ela se autoenganava, vivendo a vida intensamente. Era uma forma de pedido de socorro interno, creio eu. Largou suas antigas manias, que eram sua essência (perdendo-a) e adquiriu novos vícios: compulsividade consumista, cigarro, álcool, batidas altas que entravam pelo tímpano e acertavam em cheio seu cérebro inconscientemente confuso.

Essa menina queria tudo, mas não sabia o que queria. Nada. Ela conheceu grandes pessoas, que a fizeram rir, que seguraram sua barra, e que seguraram seu cabelo também, depois de noitadas intensas, e a levaram para casa sã e salva. Mas ela também conheceu e reencontrou espíritos que despertavam o seu pior. Nada tinham a somar. A oferta era baixa: impessoalidade, ilusões, drogas, silêncios.

Realmente, é muito difícil quando uma pessoa não consegue mirar no caminho certo. Mas essa menina tinha ao menos uma qualidade: esperança. Um dia, ironicamente, quando parou de procurar, ela finalmente encontrou a estrada certa para o seu destino. Foi engraçado, repentino e diferente. Foi verdadeiro.

Ontem encontrei essa menina numa esquina. Ela estava com os olhos mais cintilantes, e sabia exatamente onde estava indo, com confiança. Fiquei feliz ao saber que ela finalmente encontrou sua essência novamente. Ela sabe exatamente o que quer e quem quer para estar consigo na sua caminhada. Ela faz planos… Um cachorro, o canto esquerdo da cama, um domingo de chuva com massagem nos pés, que doem com a correria, e quem sabe perder o medo de ter filhos e um jantar feito a dois. Para ser sincera, nunca imaginei que ela conseguiria. Eu não apostaria nem as moedas que tenho na minha carteira.

Mas a vida é uma grande surpresa. Nunca mais subestimo nada, nem ninguém. Essa menina realmente driblou a solidão e encarou seu coração com sinceridade. E com essa brincadeira acabou ganhando mais um. Agora ela tem espaço de sobra para guardar amor.

Deixe uma resposta